Cursinhos pré-vestibulares preocupados com conteúdo do novo ENEM

O formato do novo Exame Nacional do Ensino Médio já foi definido: vai continuar avaliando habilidades e competências dos alunos e vai passar a exigir conceitos teóricos, coisa que não era feita até então. Contudo, ainda falta o Ministério da Educação detalhar como será essa cobrança, quais os conteúdos, etc. Os cursinhos pré-vestibulares já estão preocupados com isso.

A justificativa dava pelos diretores de cursinhos é que o currículo não é uniforme para todo o Brasil e que cada local tem realidades diferentes, com diferentes propostas.

E isso é verdade, pois a lei federal diz que as únicas disciplinas obrigatórias para o ensino médio são Língua Portuguesa, Matemática, Educação Física, Filosofia e Sociologia, o resto são os estados que definem

A proposta apresentada pelo ministério aos reitores das universidades federais sobre o novo Enem fala apenas que serão 200 testes de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (incluindo redação); Ciências Humanas e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; e Matemática e suas Tecnologias.

Preparação para a prova

Para acostumar o vestibulando com o novo Enem, os cursinhos pré-vestibulares vão aplicar simulados da prova quando os conteúdos forem definidos, mas a maioria não vê necessidade de dar aulas específicas.

Críticas ao novo ENEM

Um dos principais objetivos do MEC com a proposta do novo Enem é reorientar o currículo do ensino médio, de modo que os cursinhos preparatórios não sejam mais necessários. Inclusive, o ministro Fernando Haddad os chama de “anomalia”.

“O cursinho é uma anomalia criada justamente por uma situação de necessidade de nivelar a baixa qualidade do ensino”, rebate Villares, do Poliedro. “Com essa mudança, o cursinho não vai morrer, mas vai somente se transformar.

Leia mais em Gazeta do Povo